Horto Municipal de Curitiba

localização

41 3221-2016
Segunda – Sexta: 9:00 – 11:30
Idade: a partir dos 5 anos
*O horário e os dias de abertura estão sujeitos a alterações. Por isso, antes de ir até o local, é importante entrar em contato e verificar se ele estará aberto!

 

O Horto Municipal do Guabirotuba é o local
responsável pela produção de mudas de flores
que estão espalhadas pelos parques e canteiros de Curitiba.
Deslize a tela para conhecer melhor o espaço!


O Horto Municipal do Guabirotuba, administrado pelo Departamento de produção Vegetal da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, é o órgão responsável pela produção de mudas de flores da época, de plantas nativas e ornamentais, para os parques e canteiros espalhados pela cidade e são eles que cuidam da manutenção de diversos vasos e floreiras em logradouros públicos.

Toda a produção do Horto do Guabirotuba é destinada às áreas públicas do Município de Curitiba, como parques, praças, Jardim Botânico e diversos parques municipais.

Você sabia que  o Horto Municipal do Guabirotuba abrigou o Museu Botânico Municipal de 1975 a 1991, ano em que foi inaugurado o Jardim Botânico?


Ações educativas

| Visitas orientadas |

O espaço oferece visitas orientadas que permitem conhecer todo o processo de cultivo de mudas até o repasse aos parques e praças de Curitiba.

Temas sugeridos:

– Sustentabilidade

– Botânica

– Classificação biológica

– Biodiversidade

– Hortos

Orientações para visita

Pode fotografar?

Sim, mas não é interessante interagir com a exposição por meio da tela do celular. Tente encontrar um equilíbrio entre os registros e a vivência.

E se chover?

Melhor reagendar a visita!

Se for em grupo, qual é o máximo de pessoas por visita?

40 Homo sapiens

Quanto dura a visita??

Cerca de 1 hora.

Para agendar a visita, você precisa ter os seguintes dados: nome da escola, número de pessoas, idade e série e ligar para o espaço ou enviar um e-mail.

Além disso, recomendamos que usem roupas e calçados confortáveis e levem protetor solar, repelente e boné ou chapéu ao visitarem o espaço.

E como funciona a dinâmica da visita?

A visita começa pela semeadeira, onde os visitantes podem ver o funcionamento da máquina aplicando sementes no substrato.

Semeadeira.

Em seguida, são encaminhados para a câmara de germinação, onde recebem informações sobre as condições necessárias nesse local para que as sementes germinem, como por exemplo a temperatura, e o período em que as mudas devem ficar ali.

Câmara de germinação.

Depois, a visita segue para a estufa sementeira, onde há a produção de mudas muito pequenas, chamadas plugs.

Estufa sementeira.

A seguir, os visitantes conhecem o processo de repicagem, o qual é auxiliado por uma máquina, em que os plugs são transferidos para um espaço maior, com mais substrato.

Máquina de repicagem.

Os visitantes são então encaminhados até a estufa de crescimento, local onde as plantas ficam durante cerca de 30 dias, até um pouco antes de florescerem e serem encaminhadas aos locais de destino. Em cada etapa há explicações sobre as condições dos locais necessárias para o desenvolvimento das plantas.

Estufa de crescimento.

Como o Horto também é responsável pela manutenção das floreiras espalhadas pela cidade (tanto confecção e manutenção na rua, como irrigação), os estudantes também visitam essa parte. As estruturas de metal são fabricadas no local a partir de material reaproveitado.

Existe também a produção de plantas nativas, por meio de estaquia. Ao conhecerem esse processo os estudantes aprendem a diferenciar formas de se cultivar algumas plantas.

Ao visitar o local, tenha em mente qual é o papel do horto na cidade! Afinal, que plantas são produzidas ali? Para onde elas vão? Como são escolhidas as plantas que serão cultivadas? Quais são os critérios utilizados pelas equipes do Horto? Existe mais de um horto na cidade? Que pessoas trabalham no horto, que conhecimentos elas precisam ter para trabalhar lá? De onde vêm as sementes que ele plantam? Todas as plantas que eles cultivam vêm do plantio de sementes?

Depois que as flores e outras plantas vão para os parques e ruas, alguém toma conta delas? Quando decidem que ou se deverão ser trocadas? Quais árvores e flores compõem a paisagem de Curitiba? Por que algumas árvores são tombadas? E quais são elas?

É importante entender a natureza do espaço que está sendo visitado e a linguagem que ele possui para disseminar o conhecimento. A educação não é a primeira função do horto, mas mesmo assim ele abre suas portas para que as pessoas possam conhecer o trabalho realizado nesse lugar! Pensar nessas coisas ajudar a instigar a curiosidade, incentiva a formulação de perguntas e também valoriza o ambiente, o respeito pelo trabalho realizado nesse local.


E aí, já visitou o Horto Municipal de Curitiba? O que achou? Tem alguma dica? Compartilhe com a gente!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.